Tag Archives: tradição

Verdadeira enchente no XV Festival de Folclore do Rancho Folclórico Rosas do Tourigo

13937733_1210017869043179_3913728428757659125_o

O Rancho Folclórico Rosas do Tourigo realizou o seu XV Festival de Folclore no passado domingo, dia 7 de agosto. Face às altas temperaturas que se fizeram sentir, a iniciativa, que habitualmente se realiza no exterior da sede da AFERT – Associação Folclórica e Recreativa do Tourigo, foi deslocada para o recinto da Nossa Senhora do Rosário (Bôdo), em Barreiro de Besteiros.

Dos cinco grupos que estava previsto subirem ao tabuado, apenas quatro estiveram entre nós, uma vez que o Rancho Folclórico dos Recreios de Venda Seca – Sintra, informou de véspera que não poderia vir, dado o falecimento de um familiar próximo de vários elementos do grupo.

13937733_1210017869043179_3913728428757659125_oOs grupos começaram a chegar ao Tourigo por volta das 12h00. Acompanhados por dois elementos do nosso grupo, à medida da sua chegada, cada grupo era convidado a conhecer melhor um pouco da nossa terra e da associação na qual o Rancho Anfitrião está inserido.

Reconhecido o espaço, os grupos rumaram ao recinto da N. S. do Rosário, onde o almoço estava marcado para as 13h00.

Desde madrugada que os cozinheiros estavam a pé e, enquanto um grupo de homens se debruçava no arranjo do porco no espeto, outro grupo de homens e mulheres tomavam conta das panelas da sopa e do arroz de feijão que viriam a fazer as delícias de novos e graúdos.

Com um tremendo calor, apenas suportado pelas majestosas sombras das centenárias árvores do recinto, os grupos convidados sentaram-se nas mesas de pedra, também elas centenárias, para o merecido repasto.

Pelas 15h30 teve início o desfile que saiu do largo junto à capela, vindo a terminar já em cima do palco. Por ordem de atuação, desfilou o rancho da nossa freguesia, o Rancho Folclórico “As Janeiras” de Glória do Ribatejo – Santarém, o Rancho Folclórico da casa do Povo de Bitarães – Paredes, o Rancho Folclórico de São João do Casal Comba – Mealhada.

Antes das atuações, alguns convidados subiram ao palco para a habitual colocação da fita evocativa do momento e troca de algumas lembranças. Em cima do palco esteve o Presidente da Direção e o Presidente da Assembleia Geral da AFERT, respetivamente Márcio 13988100_1210016619043304_3932487639298209556_oSantos e Cláudio Gonçalves. Esteve, ainda, o Pároco da Freguesia Alcides Vilarinho; o Presidente da Assembleia de Freguesia, Hélder Costa; o Presidente da Junta de Freguesia, José Hélder Viegas, os Vereadores Carla Pires, Pedro Adão e José Carlos Coimbra o Presidente do Município, José António de Jesus.

Destaque para as intervenções do responsável pelo Rancho, do Presidente da Junta e do Presidente do Município de Tondela que, no essencial das suas intervenções, deram os parabéns ao grupo pela organização de mais uma edição deste Festival, salientando a importância de, culturalmente, manter vivo o folclore e todo o seu trabalho de recolha e divulgação de tradições.

Este foi também o momento da AFERT apresentar oficialmente o seu recente boletim desenvolvido no âmbito de um trabalho de recolha de hábitos e costumes sobre o Tourigo. O boletim foi entregue a todas as entidades presentes e poderá ser pedido na sede da AFERT.

Com as atuações a decorrer, a tarde, que por sinal estava muito agradável embora bastante quente, contou com público até ao último momento, que não se fez rogado na hora de aplaudir. A plateia completamente esgotada durante toda a tarde foi, de resto, a confirmação de que a escolha pontual e excecional deste anfiteatro natural, com todas as condições que lhe estão anexas (cozinhas devidamente equipadas, sombras de grande densidade, bancadas, palco, parques de estacionamento, etc) foi uma excelente opção. Sendo verdade que muito nos honraria conseguir realizar esta iniciativa no Tourigo – assim houvessem condições – só quem nunca esteve no terreno, quem não conhece o trabalho que dá produzir um evento destes ou quem, habitualmente, prefere ficar na fileira de trás a mandar os chamados “bitaites de treinador de bancada” a quem dá o corpo ao manifesto, teria a ousadia de criticar, no auge do seu bairrismo cego, a escolha de um espaço, da nossa freguesia, como este. Felizmente que, embora muitos continuem a insistir nas pedras de calcanhar vindas dos áureos tempos dos seus antepassados, as gerações mais novas são imunes a uma guerra que não é sua e que reconhecidamente não levará nunca ninguém a qualquer lado. No final, seremos todos pó da mesma terra em comunhão de habitação.

Para os mais céticos, recordamos que 13938173_1210017032376596_8582536636234008047_ohabitualmente este festival decorre ao sábado à noite, motivo pelo qual a questão do calor não se coloca. Por outro lado, reconhecemos que embora tenha resultado muito bem neste tipo de iniciativa, este espaço não é, certamente, o mais adequado para outro tipo de eventos, como será o caso do Festival da Juventude que decorrerá em breve.

No rescaldo do festival resta agradecer à Fábrica da Igreja de Barreiro de Besteiros a cedência imediata e inequívoca do espaço. Agradecemos ainda à Junta de Freguesia e ao Município de Tondela, na pessoa dos respetivos presidentes, o apoio e presença mais uma vez manifestados.

Importante lembrar que já no próximo fim-de-semana, o Rancho Folclórico Rosas do Tourigo irá marcar presença no Festival do Rancho da Charneca (no domingo) e no Festival de Folclore de Casal Comba, Mealhada (na segunda-feira).

AFERT promove XV Festival de Folclore

IMG_3079

IMG_3079

A AFERT promove, no dia 7 de agosto, o Festival de Folclore do Rancho Folclórico Rosas do Tourigo. A iniciativa vai já na sua XV edição e conta, este ano, com a presença de grupos convidados oriundos de Santarém, Mealhada, Paredes e Sintra. Ao todo são esperados na nossa localidade mais de 250 pessoas só entre dançarinos e cantadores.

Rancho numa incursão à praia de Mira e atuação nas Festas de Santiago

IMG_1350

A propósito da atuação deste fim-de-semana em Cantanhede, o Rancho Folclórico Rosas do Tourigo aproveitou a deslocação para agendar uma incursão à praia de Mira. Num dia de muito calor, a temperatura amena da água foi a conjunção perfeita para aproveitar uma tarde fantástica de verão.IMG_1350

Porque o rancho é muito mais do que folclore, são estes os momentos de lazer que vão dando vida a esta grande família, que conta já com mais de década e meia de existência.

Depois da ida a banhos, de algumas brincadeiras na areia e de momentos de descontração na esplanada, o grupo deslocou-se para a localidade de Ourentã, onde viria a atuar noite dentro.

À espera, um pomposo repasto para as mais de 250 pessoas que compunham os seis ranchos presentes, servido no pavilhão local.

Pelas 21h30 teve início o desfile de apresentação dos grupos, tendo o nosso rancho subido ao palco para a sua atuação por volta das 23h30.

A localidade da Arnosa, na União de Freguesias de Barreiro de Besteiros e Tourigo, comemoram as festividades de Santiago já no próximo fim-de-semana. A este propósito, o Rancho Folclórico Rosas do Tourigo e o Grupo de Cavaquinhos Moinhos do Tourigo receberam um convite para marcar presença nos respetivos festejos.

As duas atuações acontecerão no período da tarde do próximo domingo, dia 24 de julho. Fica o convite a todos para se deslocarem até à Arnosa, para os festejos que decorrerão durante todo o fim-de-semana.

Grupo de Cavaquinhos Moinhos do Tourigo em atuação

image1

De regresso aos palcos, o Grupo de Cavaquinhos Moinhos do Tourigo deslocar-se-à no próximo sábado, dia 9 de julho, a Ferreira do Alentejo, onde atuará juntamente com o Rancho desta Associação. Esta será a primeira de algumas atuações no período de Verão, que culminará com mais uma edição do ENCANTAR – Encontro de Grupos de Cantares, na tarde do dia 21 de agosto. Atualmente, coordenam este núcleo, os elementos: Verónica Silva, João Lino e Julião Santos.

Rancho desloca-se à Lourinhã, Queluz e São Pedro do Sul

convivio_rancho

O Rancho Folclórico Rosas do Tourigo deslocou-se à Lourinhã para participar em mais um festival de folclore. A deslocação aconteceu no passado sábado, dia 21 de maio, tendo o grupo saído do Tourigo depois da hora de almoço e regressado já na madrugada de domingo.

No próximo fim de semana, o mesmo rancho irá ter duas deslocações. No sábado rumará a Carenque, bem perto de Queluz, onde atuará com mais quatro grupos. No domingo a deslocação será mais curta, até São Pedro do Sul.

A época das atuações não podia estar a começar convivio_ranchomelhor, com vários pedidos de deslocações, mas deste facto importa antes destacar, não a quantidade mas a qualidade.

Essa qualidade mede-se pelo espírito de amizade do grupo, pelos momentos que se vão vivendo ao longo dos dias em que os vários elementos, mais e menos novos, com mais ou com menos problemas, se junta para levar a tradição, a cultura e o recreio da nossa região por esse país fora. Mede-se não só pelos momentos em cima do palco e trajados a rigor, mas também pelos momentos que antecedem a atuação (como o que se pode ver na foto tirada numa tasca local) ou no regresso a casa.

É também neste ambiente que gostamos de ter a porta aberta para mais um amigo que se queira juntar ao grupo. Os ensaios são às sextas-feiras à noite na AFERT. Encontramo-nos por lá.

Encontro de Grupos de Amentar das Almas no Tourigo

almas_santas

A Igreja Paroquial do Tourigo recebeu quatro Grupos de Cantadores de Almas Santas, oriundos de distintas regiões, para mais um Encontro de Grupos de Amentar das Almas.

A iniciativa é uma organização da AFERT que desde alguns anos a esta parte procura, desta forma, incentivar uma tradição que tem vindo a desaparecer um pouco por todo o lado.almas_santas

Após um jantar convívio entre os vários grupos onde marcou presença o Sr. Presidente da Junta de Freguesia e o Reverendíssimo Padre Alcides Vilarinho e Padre Armando, foi entregue a cada grupo uma pequena lembrança deste encontro.

Já na Igreja, foi feito um pequeno enquadramento da temática das Almas Santas pelo Padre Alcides Vilarinho e pela Verónica Silva, à qual se seguiu a apresentação de cada um dos grupos, pela seguinte ordem: Grupo de Almas Santas do Tourigo, Tondela; Grupo Etnográfico “Modas e Adufes” de Proença-a-Velha, Idanha-a-Nova; Rancho Folclórico e Etnográfico do Refúgio, Covilhã e AquaCantante, Aguada de Cima, Águeda.

No final do conjunto das encenações, o Sr. Padre Armando fez uma pequena reflexão que finalizou o Encontro.

Em jeito de convite do Grupo da Covilhã, sabemos que o Grupo de Almas Santas do Tourigo se deslocará àquela localidade, já esta quinta-feira, para participar num encontro local. Será também uma boa forma de dar a conhecer como são recordados os familiares que já partiram, no sopé da Serra do Caramulo.

Projeto CulturalMente – Tradição da Via Sacra

DSCN0646

O projeto CulturalMente dinamizou na passada terça-feira, dia 15 de Março, a Via-Sacra com os utentes do Centro Social do Tourigo – IPSS.

Relembramos, uma vez mais, quDSCN0596e este é um projeto que pretende fazer renascer algumas tradições, procurando dar continuidade àquelas que chegaram até aos dias de hoje, recorrendo em especial à população mais idosa e por isso mais conhecedora dos hábitos e costumes mais antigos, motivo pelo qual conta com o precioso apoio do Centro Social do Tourigo.

Depois do carnaval, foi necessário fazer uma recolha das tradições da quaresma, deste modo, numa das deslocações da animadora Sandra Matos ao Centro de Social do Tourigo, Via-sacrajuntamente com os utentes, surgiu a ideia de dinamizar uma Via-Sacra.

A Via-Sacra é uma tradição religiosa do tempo Quaresmal; é uma oração que tem como objetivo meditar na paixão, morte e ressurreição de Cristo. É o reviver dos últimos momentos da sua vida na Terra. A técnica procurou obter o máximo de informação acerca da prática desta atividade religiosa junto dos utentes e dos párocos da terra.

As catorze estações da via-sacra, os cânticos, as belas e a cruz foram algumas das tarefas que foram distribuídas pelos utentes de centro de dia, auxiliados por várias pessoas que fizeram questão de se associar.

No evento estiveram presentes o Pároco Alcides Vilarinho e o Padre Armando e algumas pessoas da comunidade que quiseram participar e assistir à Via-Sacra.

DSCN0602Foi uma celebração bonita que procurou valorizar, à parte a fé cristã, todas as capacidades que estes jovens amadurecidos, têm para nos dar, enquanto se sentem úteis por proporcionar à comunidade presente um momento de oração e reencontro interior.

É pois neste contexto de partilha com a e para a sociedade, que este projeto pretende atuar, dando vida, fazendo renascer, não só as tão preciosas tradições locais, como também quem as guarda na memória e que com o passar da idade deixou de conseguir  dar-lhes continuidade.

Um bem-haja a todas as pessoas da terra que se deslocaram à igreja para acompanharem a atividade, ao Padre Alcides Vilarinho e ao Padre Armando pelo seu apoio e disponibilidade, às ministras da comunhão por desde o inicio se aprontarem a contribuir com o apoio necessário, ao Centro Social do Tourigo e aos seus utentes, pelo seu contributo e empenho para o sucesso deste momento de oração.

Grupo de Cantares de Janeiras desloca-se a Viseu e São Pedro do Sul

janeiras

O Grupo de Cantares de Janeiras do Tourigo marcou presença, ao janeiras3longo do fim de semana, em mais dois encontros de Cantadores de Janeiras do nosso distrito. No passado sábado, dia 9 de janeiro, a deslocação foi até Viseu, mais precisamente a Abraveses. O encontro decorreu na Igreja Matriz, a convite da Associação Académica de Viseu – Abraveses.

No domingo, as janeiras cantaram-se em Negrelos, bem às portas de São Pedro do Sul, a convite do Rancho Folclórico “As Lavradeiras” de Negrelos.

Recordamos que o cantar das janeiras é uma tradição bem portuguesa que se baseia no cântico de músicas, habitualmente janeiras2pelas ruas, por grupos de pessoas que pretendiam anunciar o nascimento de Jesus desejando, simultaneamente, um feliz ano novo.

No Tourigo, esse grupo ia de porta em porta, desde o tempo em que há memória, pedindo aos habitantes as “sobras” das festas natalícias. Hoje em dia, essas ‘sobras’ traduzem-se muitas vezes em dinheiro.

Estes encontros, embora não recordem esse “andar de porta em porta”, uma vez que são habitualmente feitos em Igrejas ou salas amplas, pretendem reforçar a ijaneirasmportância de manter a tradição viva. E é, verdadeiramente, esse o espírito que se vive entre aqueles que procuram não esquecer os ditos, as melodias e os trajes mais ancestrais.

Pela nossa terra, a chuva e o mau tempo que se fez sentir por estes dias, não permitiu concluir a visita a toda a população. Não obstante, urge deixar uma palavra de agradecimento às dezenas de lares que nos abriram as portas com um sorriso na cara.

A Tradição das Janeiras – Projeto Culturalmente

CulturalMente

O projeto “CulturalMente”, coordenado pela AFERT e dinamizado pela Dr.ª Sandra Matos, levou um grupo de idosos do Centro Social do Tourigo a cantar as janeiras às crianças do Jardim-de-Infância e da Escola Básica do Tourigo.

Já aqui falámos do projeto “CulturalMente”, uma iniciativa à qual se associou o Centro Social do Tourigo e através do qual a AFERT pretende criar laços entre o presente e o passado, promovendo a recolha e dinamização de tradições, hábitos e costumes antigos, junto da comunidade mais idosa da nossa região. Duas manhãs por semana, os utentes da IPSS da nossa freguesia, são visitados pela técnica que realiza um conjunto de dinâmicas com eles.CulturalMente

O cantar das janeiras estava, inicialmente, planeado ser de porta em porta, tal como manda a tradição e com o objetivo de recordar os tempos de mocidade destes “jovens”. Todavia, esta atividade foi condicionada pelas condições climatéricas adversas que se têm sentido nos últimos dias. Foi por este motivo que este grupo cantou as janeiras à hora de almoço, às crianças dos estabelecimentos de ensino, que utilizam os serviços do Centro Social do Tourigo para a sua refeição.

Para preparar esta atividade, nas sessões anteriores o grupo de idosos teve a oportunidade de fazer um levantamento dos hábitos e costumes relacionados com esta tradição, assim como a letra e a música apresentada.

Deste modo tornou-se possível dar vida e encorajar este grupo a partilhar os seus saberes, mostrando que são valiosos e que não podem cair em esquecimento, pois são a nossa cultura e o que nos liga às nossas origens antepassadas.

Um agradecimento à direção do Centro Social do Tourigo que tem colaborado, de forma exímia, nesta profícua parceria.

AFERT lança projeto CulturalMente centrado nos idosos

culturalmente

Quando em 2008 os sócios fundadores da AFERT criaram esta associação, ficou patente noDSC06110 seu objeto que se propunham a desenvolver a recolha e divulgação de tradições e costumes da Região da Beira-Alta. O mesmo artigo faz referência, de igual modo, a promoção dos valores etnográficos e culturais da referida região.

Várias são as iniciativas que, desde 2008, concorrem a estes pilares fundamentais. O Rancho Folclórico e o Grupo de Cavaquinhos são, possivelmente, a cara mais visível dessas máximas, mas a direção não se quis ficar por aqui.DSC06127

É neste contexto que, em outubro deste ano, nasceu o projeto CulturalMente. Trata-se de uma iniciativa que almeja uma interação com aqueles conterrâneos, que hoje, volvida uma vida de muito trabalho e suor, procuram descansar as rugas da cara, fustigadas pelo calor dos muitos verões e pela geada de igual número de invernos rigorosos da lavoura no sopé do Caramulo.DSC06175

Com este projeto CulturalMente, a AFERT pretende expandir o seu leque de intervenção, nomeadamente atrave?s da explorac?a?o de atividades que possam incrementar a envolve?ncia do pu?blico se?nior. Propo?e-se, por isso, a criar lac?os entre o presente e o passado, procurando enraizar-se nas vive?ncias da populac?a?o mais idosa mas simultaneamente mais sábia nesta matéria.

DSC06239Sendo um projeto que pretende recolher para preservar e mais tarde divulgar, não se crê que se possa implementar de forma isolada no terreno. É por isso mesmo que, numa primeira fase, foi estabelecida uma excelente parceria entre o Centro Social do Tourigo – IPSS e a AFERT, com vista ao trabalho semanal com os utentes do Centro de Dia daquela instituição.

Desde outubro deste ano que a Dr.ª Sandra Matos, Animadora Sociocultural em funções na AFERT, se desloca duas vezes porDSC06296 semana ao Centro Social do Tourigo, onde promove sessões com os respetivos utentes.

Até ao momento a iniciativa tem sido muito bem acolhida, em especial pelos participantes que nestes três primeiros meses já tiveram a oportunidade de trabalhar temas como: as vindimas, as tradições, rimas e lengalengas, profissões do passado, músicas e cantilenas da sua infância entre muitas outras.